[…] o Portugal de hoje prolonga o anti…

[…] o Portugal de hoje prolonga o antigo regime. A não-inscrição não data de agora, é um velho hábito que vem sobretudo da recusa imposta ao indivíduo de se inscrever. Porque inscrever implica acção, afirmação, decisão com as quais o indivíduo conquista autonomia e sentido para a sua existência. Foi o salazarismo que nos ensinou a irresponsabilidade — reduzindo-nos a crianças, crianças grandes, adultos infantilizados.

José Gil em “Portugal, Hoje: O Medo de Existir”

E nós não só deixámos, como gostamos…

#Portugal#quote

Comments

  1. Paula do Espírito Santo - March 12, 2010 @ 22:48

    Caro Zé,
    Li o teu artigo sobre as elieções legislavas portuguesas e achei útil. Envio-te a referência do meu livro Sociologia Política e Eleitoral, do ISCSP, que se enquadra na temática das eleições.
    Continuação de bons trabalhos.
    Paula do Espírito Santo

    • - March 13, 2010 @ 17:49

      Obrigado (acho eu), mas o acima não é nem um artigo, nem meu (a menos que algum alter ego meu tenha escrito sobre o assunto). Também, não estava a usar a citação no contexto de eleições ou sequer de sistemas políticos. Mas agradeço o comentário.

      • Paula Es - March 22, 2010 @ 14:21

        Caro Zé,

        Talvez se imponha um esclarecimento pois tb estou agora confusa. Eu estava a referir-me a artigo que deduzi tivesses escrito sobre as eleições legislativas portuguesas de 2009 e que está no site sobre as eleições do mundo e não à frase que consta acima. Como não
        tinha o teu email usei esta via.

        Paula ES

        • - March 22, 2010 @ 14:29

          ??? Se o artigo foi assinado por mim, gostaria muito que me indicasse o link. No meu estado consciente jamais teria escrito fosse o que fosse sobre eleições (portuguesas ou não). Mistério…

  2. Rui Soares - March 13, 2010 @ 13:13

    Posso convidá-lo para uma acção, afirmação, decisão? Uma entrevista?

    • - March 13, 2010 @ 17:44

      Estou à disposição 😀

Leave a Reply