FÔLEGO

AFINAL HÁ UNS TODOS QUE TE CORTAM O FÔLEGO que são tão raros que te esqueces que para serem todos inteiros e dessa dimensão toda precisam de ser salpicados dos sobressaltos que te fecham num poço negro num poço que parece não ter saída mas lá vais saindo e a cada vez que sais lembras-te e afagas-te com o calor de achar que percebeste que o sobressalto afinal era preciso tu que sempre juraste a pés juntos que só os sobressaltos existem o mesmo tu que agora descobre que o fôlego sim se esgota e que sem os sobressaltos então nunca mais se te cortava sem eles esse teu todo não ia mais deixar-te sequer respirar e então já não era todo já não tinha dimensão era só era como se não fosse.

• • •