Insufficiencies

 

NO I AM NOT SURPRISED to realise that the only truth I need to admit to is not that I am counterfeit but much rather that I was born molded that way moldeld in a way that damns my insufficiencies to be both despicable and superior at the same time quirky and embarassing at the same time and altogether insignificant meaningless and pedestrian a burden thankfully visible only to me or so I hope.

 

 

• • •

Todos Os Nadas

 

NÃO SEI SEI LÁ EU DESTA ANESTESIA que não te protege de nada e que faz menos efeito quando te dás conta que é a única que há mas que mesmo assim é precisa apesar de não te proteger de nada porque era ainda pior que te protegesse menos do que nada bem sabes que claro que há menos do que nada bem sabes só não sabes é que só tu é que sabes dos teus nadas que são menos que nada e que todos somados são tudo e não são nada.

 

 

• • •

Uma Linha Reta

 

ESTES TRISTES E FRACOS PEIDOS que nem sequer a desespero cheiram não são a solução agora já viste que o caminho para o fim o caminho que te sobra não é nem convoluto nem místico nem feito de performativos rasgos públicos de dor não nada disso é na verdade uma linha simples reta bem iluminada é simples é só por um pé à frente do outro e começar a andar ou começar a correr como queiras é só decidires só que agora bem sabes que isso de simples não tem nada.

 

 

• • •

Fica Aí

 

O QUE TU QUERIAS SEI EU querias saber o que é que é para fazer agora o que é para fazer a seguir só que nada é o que tu querias que fosse nada é sequer o que tu estavas convencido que é e lá em baixo está um breu que te assusta mas se calhar agora até já nem te assusta tanto assim mas não interessa porque assim como assim já nem trampolim tens para saltar não interessa porque se calhar já percebeste que não tens nenhuma dívida que te mande saltar não interessa porque podes ficar aí um dia acaba fica aí pronto.

 

 

• • •

Desgoverno

 

EU DISSE-LHE MAIS DO QUE UMA VEZ que há sim uma versão que percebe que nada disto é real e que se está profundamente a cagar para seja lá o que isto é mas que parece que não gosta de se mostrar e a luisa só tem a dizer que é porque essa versão tem medo de vir ao de cima tem medo de estragar o equilíbrio ou então porque a outra versão que acha que isto é real e que sou eu não a deixa falar mas eu estou farto de lhe explicar que não e que não que ela se está mesmo profundamente a cagar no que eu acho no que a luisa acha e no que seja quem for ache sem sequer me atrever a dizer-lhe que tenho saudades da assimetria e do desgoverno e do desmazelo e nenhumas saudades de nada disto.

 

 

• • •

Not A Flaw

 

You’re right. I hate people. I’m scared of them. I’ve been scared of them practically my whole life. People I loved, people I trusted have done their absolute worst to me, and for the very longest time that’s all I ever knew. So yeah, I called my group fsociety, because you know what? Fuck society. Society deserves to be hated for everything you said they did and more, fuck every last one of them for what we’ve all been through.

But then there are some people out there, and it doesn’t happen a lot, it’s rare, but they refuse to let you hate them. In fact they care about you in spite of it. And they are the special ones, they’re relentless at it. Doesn’t matter what you do to them, they take it and care about you anyway, they don’t abandon you, no matter how many reasons you give them, no matter how much you’re practically begging them to leave. And you want to know why? Because they feel something for me that I can’t.

Because they love me.

And for all the pain I’ve been through, that heals me. Maybe not instantly, maybe not even for a long time, but it heals.

And yeah, there are setbacks. We do fucked up things to each other, and we hurt each other, and it gets messy, but that’s just us, in any world you’re in. And yeah, you’re right, we’re all told we don’t stand a chance, and yet we stand, we break, but we keep going and that is not a flaw.

That’s what makes us.

So no, I will not give up on this world, and if you can’t see why, then I speak for everyone when I say:

Fuck you.

Mr. Robot — Episode 11 (eXit), Season 4 — Written by Sam Esmail

 

 

• • •

Pronto

 

Tudo isso é muito bonito todas essas resoluções de te pores de fora e de observares sem sim nem não nem antes pelo contrário eu só vim ver a bola não tenho nada a ver com isso e aliás deixei a sopa ao lume tenho que ir fica para a próxima prometo mas não podes ir lá dentro berrar que estás de fora não podes sequer querer isso sem estragar tudo tem de ser um patamar acima ou mais fundo muito mais acima ou muito mais fundo visível mas transparente pronto.

 

 

• • •

As Memórias Depois

 

TODOS OS DIAS ME ESPANTO UM BOCADINHO POR AINDA ESTAR VIVO e agradeço em silêncio mais uma oportunidade para por os meus assuntos em ordem oportunidade essa que todos os dias adio não tanto pela inconcebível finalidade da coisa mas mais pela angústia de estar a deixar coisas por resolver a senha do computador e da conta no banco a roupa na máquina de lavar a reunião que não vou conseguir cancelar o pó por baixo do roupeiro as toalhas mal arrumadas os quadros por pendurar o jantar que tinha combinado com a rita daqui a três semanas e as memórias o que é que acontece a estas memórias todas depois?

 

 

• • •

Anões

 

EU QUERO MAIS É QUE SE FODAM AS PEQUENAS CRUELDADES inúteis todas elas e os anões de merda que as têm sempre prontas a acharem que única redenção que existe por não terem conseguido corresponder àquilo que os seus pais de merda lhes inculcaram como sendo o normal como se isso sequer existisse que se foda o normal que se fodam os anões e que se fodam as merdosas colinas que defendem convencidos de que são montanhas.

 

 

• • •

As perguntas certas

 

NÃO SEI BEM só me perguntaram se me atraem as mulheres desassossegadas ou se ficam desassossegadas por causa de mim e eu pensei logo que essa pergunta não tem nenhuma resposta que não seja uma vaidade e aliás as perguntas que só têm vaidades como resposta não são nunca as certas por definição são aquela espuma que se forma no caldo que esteve a borbulhar durante horas e que é preciso deitar fora não são o caldo nem são nada não me conheces não sabes o que me atrai achas que sabes mas não sabes nem sequer sabes o que não me atrai pergunta-me em vez sobre as minhas vergonhas.

 

 

• • •

Mamihlapinatapai

 

BOM NÃO ERA MESMO NADA DISSO até podia ser mas na minha mente nunca como objectivo primeiro só se fosse mais como efeito secundário e seja como for ia-me atrapalhar à mesma não por não saber o que fazer mas mais por saber perfeitamente que não era capaz de o fazer bem ou pelo menos de o fazer sem arestas porque a dúvida sabes basta-me a dúvida para ter a certeza do que não sei e que ela só se dissipa com um tempo que não temos que ninguém tem a menos que não saibamos que queremos é isso é preciso querer sem saber se calhar e alguém tem que começar.

 

 

• • •

Dobra

 

Há uma dobra inevitável por muito que se queira adiá-la apesar dos livros de auto-ajuda te dizerem que não é obrigatório que ela dobre para pior mas já sabes muito bem que quando te dizem que seja o que for não é bem assim é porque sim é sempre assim e se calhar têm receio por ti por osmose ou por vaidade ou por dor alheia mas sem perceberem que essa dor que lhes é alheia não lhes dói da mesma maneira que a ti por não conseguirem dar o braço a torcer da sua mentecapta e obsessiva positividade não podia nunca ser então as pessoas iam achar pesado e o pesado é demasiado pesado apesar de ser real mas o que é real dá muito trabalho e é preciso pensar e ninguém tem tempo para isso e mais para mais o que é que as pessoas iam achar iam achar pesado afinal de contas não se pode confundir as declarações de afecto que te vestem de lantejoulas com o trabalho chato e pesado de desenvolver real afecto onde é que isto ia parar sim onde com a contagem de seguidores do instagram a minguar a falar de dobras que talvez possam ser duras e dolorosas e pesadas isso são coisas que talvez existam mas não tendo likes que cheguem pensando bem talvez não existam é sempre melhor sorrir e dizer as palavras profundas que não são pesadas e não olhar para dentro da dobra de ninguém muito menos da própria.

 

 

• • •

Nós

 

Desculpe mas eu não sei quem você é não existe aqui nenhum contexto em que essa sua estranha curiosidade seja conveniente eu não perguntei nada de significativo ou revelador de propósito e sim acho que é normal eu esperar que retribua a cortesia uma vez que não temos doze anos e portanto tenho quase a certeza que nem você nem eu temos vagas disponíveis para a posição do profundo dialogante quer a posição esteja por preencher ou não pensando bem até é um bocado suspeito que tenha sequer a mais pequena das compulsões para definir isso como uma lacuna que é preciso corrigir basta falar do tempo ou dos livros dos filmes do teatro ou da inocência das crianças ou da desesperante trivialidade da vida essas coisas todas todas elas perfeitas para serem imediatamente esquecidas porque acredite que já não consigo mesmo lidar com a tentação de desfazer nós para ver mais nós com a tentação de nos desfazer a nós para nos ver a nós.

 

 

• • •

Tão Longe

 

Não não vale a pena juro deixa estar não te preocupes nem um minuto com isso são angustias pequeninas e problemas infantis e nós antigos tão idiotas que já não vale a pena desfazer é muito tarde e o tempo que sobra é pouco para quê afinal ia acabar por azedar tudo e preferia que não dessem por mim ou que dessem talvez às vezes não sei bem mas é porque vem de longe sabes como se planta uma figueira talvez sem pensar muito nisso porque é bonita afinal sei lá e porque os figos sabem bem sabem a possibilidades sabem a verão com pinhões torrados e ricotta e mel por cima talvez mas de repente tens o jardim invadido e deixa de te apetecer isso tudo mas reparas que é tarde e que agora vais ter de viver com os figos e pensas que se lixe não faz mal assim como assim um dia vou-me embora e isto vem tudo de tão longe.

 

 

• • •

Ästhetische Erziehung

 

Slow down shut up refuse to play don’t pretend you know apologise maybe drink water remember the water.

 

 

• • •

Agora

 

Já sei agora já sei é só que tinha medo que fosse tarde demais espera espera espera deixa-me dizer-te pensando bem não te quero dizer dá-me igual que percebas ou não tu não fazes ideia se é tarde não sabes nem sabes nem podes sequer saber caga nisso agora já não é agora já foi agora é uma promessa é uma memória não é nada que eu saiba não é nada que tu possas perceber nem sequer é preciso que possas porque eu sei mesmo talvez sendo tarde eu agora já sei que afinal nunca é tarde porque é agora.

 

 

• • •

Lundi

 

Não havia plano nenhum para além de ir para Paris e desparecer num sítio bonito passar umas semanas ou uns meses a passear e a comer bem e a não falar com ninguém nem de viva voz nem por telefone nem por email nem nada bonjour madame bonjour monsieur je peux vous aider ah non merci c’est gentil je regarde juste merci um silêncio absoluto de diálogo pessoal uma dedicação apenas a sorrir a vistas e a cheiros e a barulhos sem pensar sem pensar em nada sem pensar e depois simplesmente e sem alarido evaporar-se sem um grande plano mas com o que havia e quanto mais pensava nele menos mal lhe soava o plano não fosse a segunda-feira para a semana que vem decidiu sim para a semana que vem só devia era haver uma segunda-feira por mês.

 

 

• • •

De Certeza

 

Se calhar é por me sentir cercado por essas certezas todas pelos absolutos os absolutos assustam-me particularmente os que são sobre mim provocam-me uma urticária defensiva dão-me um pânico incontrolável uma compulsão para fugir combinada com um outro pânico de não querer não poder mostrar que quero fugir e a sensação é-me tão desconfortável que me basta apenas pensar nisso para me apetecer enfiar a cabeça na areia e nunca mais a tirar de lá mas imagino que existam as incertezas exactamente certas mas não tenho a certeza talvez.

 

 

• • •

Logo Se Vê

 

Suponho que, tal como a maioria, tenho uma ideia de mim mais romântica do que aquilo que sou na realidade. Isto não é em si um problema, a menos que se admita que possa existir uma qualquer autoridade superior credenciada para distinguir a diferença e em quem, sem reservas, deveríamos acreditar (não me parece que exista).

Problema é muito mais, quando por acaso me assaltam vislumbres dessa dissonância, convencer-me que em nome de uma teórica harmonia é absolutamente necessário afinar comportamentos e filtrar pensamentos, quando afinal nunca chego a sair de mim, porque não é possível.

Ou seja, é verdade que me vou esquecendo de como era o futuro, mas não faz mal.

 

 

• • •

Control

 

I sometimes wonder how I’ve managed to carry on this long, always on the brink of doing or saying something very very stupid.

You wouldn’t know, of course: you think I’m in control.

 

 

• • •
1 2 3 18